As maquiagens HD são produzidas com micropigmentos fotocromáticos, quase imperceptíveis, de cobertura leve e fácil aplicação. Promovem um aspecto natural e uniformizado, cobrindo todos os poros.

Com a tecnologia HD nos aparelhos de televisão, as imperfeições na pele ficaram muito mais evidentes, não sendo possível cobri-las completamente com as maquiagens comuns ou fazendo com que o uso em excesso delas ficasse muito perceptível. Tornou-se necessário, então, o desenvolvimento de uma maquiagem mais eficiente e discreta: a maquiagem HD, cuja tendência vai muito além do trabalho em frente às câmeras.

As maquiagens HD são produzidas com micropigmentos fotocromáticos quase imperceptíveis, de cobertura leve e fácil aplicação. Esses pigmentos reagem à luz, promovendo um aspecto natural e uniformizado, cobrindo todos os poros. Apesar de ter uma cobertura suave, essa maquiagem é muito eficaz para disfarçar rugas e linhas de expressão.

Os pigmentos fotocromáticos, responsáveis pela cobertura total das imperfeições, são micropartículas de cor que proporcionam mais adesão às células da pele e se adaptam à iluminação ambiente, impedindo que mesmo a luz forte dos flashes de máquinas fotográficas tire o efeito “rosto de boneca” da make. A pele fica com um visual sequinho, sem oleosidade e com uniformidade impecável.

A diferença entre a maquiagem comum e a maquiagem HD está na composição. A make comum tem como base o óxido de zinco, enquanto a make HD tem como base o óxido de titânio. Além dessa distinção, as maquiagens comuns costumam ter talco na composição e outros minérios – como magnésio – e isso costuma deixar a pele esbranquiçada, cinza ou machada. Já os produtos com base de óxido e titânio, como é o caso da maquiagem HD, são mais leves e tem a base transparente.

No entanto, para ser aplicada corretamente e produzir os efeitos desejados, é preciso ter o domínio da técnica dessa nova maquiagem. Portanto, conte sempre com uma profissional.